Lucro do ecommerce: 5 fatos que você precisa conhecer

Home / Operação / Meios de Pagamento e Finanças / Lucro do ecommerce: 5 fatos que você precisa conhecer

Lucro do ecommerce: 5 fatos que você precisa conhecer

O lucro do e-commerce, assim como em outros negócios, exige paciência e planejamento do empreendedor. Não basta apenas ter uma loja virtual e esperar que os compradores venham. É preciso ter uma estratégia e um plano de ação bem estruturados, já que dessa forma é possível obter retorno no tempo esperado.

É difícil entender como um setor que só cresceu nos últimos anos pode ter tantas empresas operando no vermelho. É isso que ocorre no mercado virtual brasileiro: cresceu 250% nos últimos cinco anos; apesar disso, e-commerces como o B2W apresentaram aumento na receita, mas prejuízo de US$ 62 milhões.

A lucratividade está ligada principalmente à gestão adequada. Veja os fatos relacionados ao lucro do e-commerce!

1. Estratégia é tudo

O maior marketplace da América Latina, o Mercado Livre, traçou sua estratégia intermediando vendas e compras de terceiros, tornando a plataforma virtual conhecida e eficiente. Fundada pelo argentino Marcos Galperin em 1999, a empresa lucra há 37 trimestres consecutivos. 2015 e 2016 foram muito interessantes para o negócio, que lucrou quase US$ 90 milhões em cada um desses anos. Mais de 50% desse valor veio dos usuários brasileiros.

A estratégia não foi a mesma desde o início do marketplace, que teve de se aperfeiçoar para atender às demandas do mercado. Com a criação de outros marketplaces como o OLX, o Mercado Livre teve de rever sua proposta de comissões, mas mesmo assim continuou crescendo, em virtude da gestão eficiente.

Veja também

preço ou qualidade

Preço ou Qualidade? ESTRATÉGIA!

2. Faturamento nem sempre é sinônimo de lucro do ecommerce

Por outro lado, Dafiti e Netshoes, outros grandes negócios virtuais, não tiveram lucratividade no mesmo período, embora as vendas chegassem próximo dos R$ 600 milhões. Isso ocorre porque, diferente do Mercado Livre, essas empresas vendem produtos próprios e têm custos elevados.

Dafiti e Netshoes apresentam centros de distribuição enormes, com muitos funcionários (e encargos relacionados à contratação). Além disso, entram em disputas canibais por preços, investem em tecnologias, custeiam frete, entre outros fatores que os distanciam do lucro.

3. Lucro imediato quase não existe

Parece simples: o empreendedor desenvolve uma loja virtual, disponibiliza seus produtos, faz publicidade, vende, entrega e lucra. Não é bem assim, uma vez que o processo de maturação de um negócio na web pode ser mais lento que o tradicional.

Isso porque é importante ter uma estratégia bem definida para que o negócio atenda perfeitamente ao cliente. É um processo que pode durar de 4 a 6 meses (até mais, dependendo da proposta). Esse é o momento de avaliar ações, dificuldades, erros, acertos e o processo de compra como um todo.

Veja também

automação de marketing

Automação de marketing: 5 coisas que você precisa saber

4. A margem de lucro nem sempre é aquela que o empreendedor espera

Encontrar uma margem de lucro adequada para o negócio, de forma que seus produtos possam competir com os demais varejistas do seu segmento e gerar receita, depende de vários fatores. Para encontrar a margem de lucro mais adequada, é necessário avaliar os seguintes pontos:

  • preço de compra ou fabricação do produto;
  • percentual operacional (envolve custos de operação, de estoque e de equipe de vendas);
  • investimentos em marketing;
  • expectativa de faturamento.

Junte esses fatores ao preço praticado pela concorrência. Dessa forma, será possível determinar um preço que cubra esses custos e que dê lucro para o negócio.

5. Os primeiros visitantes nem sempre são os primeiros compradores

Funciona da mesma forma que com os consumidores de uma loja física. Muitos entram, olham os preços, provam algum produto, mas nem sempre compram. O mesmo vai acontecer com seus clientes virtuais. Eles vão acessar o site, colocar coisas no carrinho de compras e vão sair como se nada tivesse acontecido.

Isso acontece todos os dias no e-commerce, principalmente com as lojas que acabaram de chegar ao mercado e que não despertam tanta confiança do consumidor. Segurança pesa muito na decisão de compra; por isso, lojas conhecidas terão preferência nessa hora.

Nesse contexto, as promoções não vão alavancar as vendas, e sim os investimentos em segurança e no aumento da confiança do público. É importante ter os pés no chão e a consciência de que levará tempo para a marca se tornar referência no mercado e aumentar o lucro do e-commerce.

Gostou do que leu? Aproveite e curta nossa página no Facebook. Sempre postamos assuntos relevantes para empreendedores virtuais.

Veja também

Dicionario-do-Ecommerce-capa

Dicionário do Ecommerce: Os termos mais usados no mundo digital

Equipe Portal do Ecommerce
Equipe Portal do Ecommerce
A Equipe do Portal do Ecommerce é formada por especialistas em estratégias digitais, marketing, vendas e conteúdo.
Recent Posts

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search

mobile firstempresa mais pessoa